Depois de 3 anos, finalmente acabei o curso de jornalismo e I’ve had the time of my life :)

If you have built castles in the air, your work need not be lost;

that is where they should be.

Now put the foundations under them. (1)

por Henry David Thoreau ( escritor americano, filósofo)

I ‘ve had the Time of My life

Ufffaaaaa….nem acredito que finalmente deixei de ser estudante. Depois de duas décadas a estudar… acabei.

Hoje fiz o meu ultimo exame. Agora é só esperar que tudo corra bem, e esperar pela minha formatura em Setembro😀

Esta foi a melhor decisão da minha vida. A vinda para Inglaterra foi tomada num impulso.Impulso que mudou a minha vida para sempre. Impulso esse que me deixou três dias sem dormir em 2006

Um colega meu do Lidl disse-me para tentar ir para Inglaterra, que a candidatura iria demorar cerca de um ano e que se eu não entrar no Reino Unido (RU) sempre poderia tentar em Portugal.  Ele entrou também num curso da faculdade no RU, por isso, soube por-me a por de tudo o que eu precisava de saber para que a minha candidatura fosse bem sucedida.

Faltavam três dias para a entrega da ficha de candidatura do ensino superior em Portugal, mas eu sabia que não poderia ir, porque ainda não tinha dinheiro suficiente para as propinas e para mudar de cidade. Por isso, decidi não concorrer em Portugal e concorrer para o RU, afinal de contas se a candidatura para o RU corresse mal, sempre ia a tempo para me candidatar para Portugal no ano seguinte e aí já teria dinheiro suficiente.

Passo seguinte: ESPERAR E TRABALHAR ….MUUUUUiiittotoooooo

  • Tive que esperar cerca de um ano pelos resultados do Ucas e durante esse tempo lá ia eu trabalhando por vezes sete dias por semana no LIDL para juntar o máximo possível de dinheiro. Esse tempo serviu-me para crescer, ganhar coragem, aprender a tocar guitarra, como uma forma de escapismo e pensar muito no assunto.
  • Pensei que não iria conseguir, que não deveria ir para Inglaterra já que o meu inglês ainda era muito fraco. Pensava que era demasiado burra para ir para a faculdade, perguntava-me constantemente se iria falhar. Que desculpas diria ás pessoas? O que é que elas diriam se eu falhasse? Será que iriam rir-se e dizer que tinha tentado dar um salto maior que a minha perna?

Foi terrível. Por vezes não conseguia dormir com todos estes pensamentos na cabeça. Nunca positivos,como que tudo iria correr bem, eram sempre negativos, que eu era demasiado burra para isto e que mais valia continuar no Lidl que pelo menos lá, já era efectiva e já sabia o que estava a fazer.

Houve só duas coisas que me deram forca para continuar a lutar uma frase da Billie Holiday que disse que mesmo com a vida que ela tinha levado, ela continuava sem arrependimentos, que se pudesse, faria tudo de novo porque aprendeu algo cada dia; e também se tudo corresse bem daria um orgulho enorme á minha mãe, como a primeira da nossa família a acabar um curso superior.

Foram meses em que mal via os meus amigos e familiares já que estava o tempo todo a trabalhar e o pouco tempo livre que tinha usava para DORMIR, preencher mais papeis do UCAS e tocar guitarra.

  • Em fevereiro de 2007 soube a resposta. Tinha entrado em 4 faculdades, por 10 segundos, hesitei e pensei se deveria ir, mas a minha mãe lá me disse para parar de ser preguiçosa e seguir os meus sonhos😀. Disse-me que a minha educação era a única herança que ela iria me deixar e que ela iria sempre me apoiar para o que desse e viesse, embora ela como mãe ‘galinha’ me quisesse debaixo da asa dela.

Escolhi Lincoln porque gostei do curso e da localização da cidade, mesmo ao lado de Nottingham e de Leicester e por ser tão pequena, não precisava de pagar mais o passe da Carris e da Cp versão inglesa, para ir para a escola. Em menos de 40 minutos atravesso a cidade toda, o que sempre serviu para manter a forma.

As minhas experiências:

Bem por onde é que eu começo??😉

Desde o momento em que apanhei o avião, para ir para um pais sozinha, sem falar praticamente inglês soube que não me iria arrepender. Se tive coragem para isso teria coragem para tudo na vida.

  • Em menos de uma semana já tinha conhecido pessoas dos quatro cantos do mundo, desde Tailandeses, Japoneses, Nigerianos, Espanhois, Venuzuelanos, Americanos e claro muitos ingleses. Tive que comprar pela  primeira vez na minha vida, comida para a despensa, utensílios de cozinha e coisas para o quarto como edredon e lençóis para a cama.
  • Teve uma pessoa que me ajudou muito um Romeno, que sabe falar português melhor do que eu, Daniel que me ajudou a perceber as coisas mais básicas como onde comprar peixe, que cartão de telefone devia ter, onde é que eu deveria de ir para saber mais informações do curso, etca e sempre foi muito honesto com todos os conselhos que me dava, salvou-me de muitas situações.
  • Conheci também muitos portugueses que me ajudaram a corrigir os meu trabalhos , alguns se tornaram meus amigos dando-me forca para continuar e para não desistir. Como a Raquel , Luisa  e Marisa , NUNCA VOS VOU ESQUECER. OBRIGADA. Nos momentos mais difíceis da minha vida, como na morte do meu pai, vocês estavam lá e não me deixaram cair…
  • Aprendi também que por vezes, não vale a pena lutar por certas amizades, certas pessoas estão só de passagem na nossa vida, para nos ensinar algo, nem que seja aquilo em que nós não nos devemos tornar, como no caso da *Miranda.
  • Finalmente, conheci ingleses. Descobri que sempre tive uma ideia muito distorcida de Inglaterra e dos ingleses. Pensava que eles eram as pessoas mais cultas, mais ricas e mais cools do mundo.O país das oportunidades. Não. Não são mesmo nada disso. São muito fechados no seu próprio mundo, sabendo quase nada sobre outras culturas sendo muito complicado ter uma conversa decente com um inglês , já que a cultura geral deles, principalmente a internacional, deixa muito a desejar. Claro que existem muitas excepções mas a grande maioria são uns ‘tónhós’.
  • Cresci muito nestes anos, de uma miúda que passava os dias em casa a ler e a ver televisão e que dependia da mãe para tudo passei a ser uma mulher que pensa na sua carreira, que tem que contar os trocos para pagar a renda, encher a despensa e que sabe fazer sacrifícios quando é necessário. Uma mulher que sabe que tipo de homem quer na sua vida e que sabe o seu valor… Uma mulher que tem sonhos como 25 coisas que devo fazer antes de morrer ou que aprecia mais os pequenos momentos com amigos e família ou mesmo sozinha a ver o por-do-sol e a comer pastéis de Belém ou a comer um Hot Cross bun
  • Agora sei o que quero, como e quando quero. Sei lutar pelos meus sonhos, mesmo que por vezes tenha que esperar um bocadinho, já que não podemos ter tudo ao mesmo tempo. Há que saber esperar e lutar pelos nossos sonhos aos poucos, por vezes, não dá para ter ao mesmo tempo a careira , a casa, o namorado, as roupas e o emprego dos nossos sonhos. Por vezes, temos que realizá-los um a um, com calma, saboreando cada vitória.
  • Aceitei-me mais como mulher. ADORO-ME e  não mudava nada da minha aparência física, tudo trabalha em harmonia da sua maneira. Deixei também  finalmente crescer o meu afro, como sempre quis, aprendendo a cuidar dele com productos naturais. Aprendi a comer mais saudavelmente. FINALMENTE já sei cozinhar

Pode ser que nunca seja uma jornalista. Mas pelo menos tive a oportunidade de aprender algo sobre a minha área preferida, jornalismo.

  • O meu blog é um dos meus maiores orgulhos, é uma das maneiras de eu falar e dar conselhos á minha irmã e por a par as minhas amigas sobre o que penso sobre determinado assunto; afinal de contas só as vejo de ano a ano e não quero que elas me olhem como uma estranha mas como alguém que sempre esteve ao lado delas, a sussorar-lhes ao ouvido… É também uma das maneiras de eu escrever. Sempre gostei de escrever as minhas crónicas e artigos de opinião, embora saiba que o meu português escrito deixa muito a desejar e talvez não tenha talento nenhum. Mas só praticando é que podemos melhorar, por isso, perdoem-me por enquanto as minhas calinadas na gramática.
  • Claro que,por vezes, me dá uma inveja tremenda quando oiço que os meus amigos estão na praia a aproveitar o calor de 35 graus do verão português, enquanto que eu em Inglaterra fico contente quando há aqui 20graus; contudo, sei que a minha falta de bronzeado vale a pena. Posso também não realizar certos desejos materiais e nunca tenho dinheiro para nada , já que por estar a estudar e enfiada na biblioteca, passo a vida a contar os trocos, mas,  todos os dias fico orgulhosa de mim por ter conseguido algo na vida, nunca pensei que pudesse me tornar na mulher que me tornei,e isso não tem preço…
  • Tenho também muitas histórias para contar algumas podem encontrar na minha categoria Estudar no Reino unido outras ouvirão aos poucos neste blog, é que isto de conhecer pessoas de todo o mundo, enriquece muito uma pessoa, passei a conhecer tantos autores, músicos, comediantes, tudo dicas dos estudantes internacionais. OBRIGADA
  • Eu costumo dizer que agora estou oficialmente formada na arte do ‘desenrascanso’. Este curso veio transformar uma miúda tímida numa mulher que é capaz de dar a volta a qualquer situação. Aprendi á custa que ás vezes se não souberes, tens que ganhar coragem e perguntar. Haverá sempre alguém disponível para responder ás tuas perguntas, mesmo que não conheças essa pessoa. Bata pegar no telefone e perguntar, normalmente toda a gente tem cinco minutos livres se os vossos interesses forem comuns. Agora, não há assunto nenhum que eu não seja capaz de saber alguns detalhes, nem que tenha que chamar as autoridades nacionais na matéria. Antes perguntava ás amigas e colegas de trabalho, dando lugar a muitos mal entendidos mas se o assunto for importante, não perco tempo, e vou directamente á fonte.
  • Estou também com uma mente mais aberta. Agora oiço, leio e quero saber de tudo. Se uma pessoa adora um certo autor ou músico eu vou ler e escutar, porque se eles gostam alguma razão devem ter. Já fui a bares de heavy metal, reggae, Grimme, dancehall, folk, concertos de música clássica e adorei essas experiências. Conheci assim, novos gostos pessoais e agora tenho a certeza do que gosto, do que posso gostar com algum jeitinho e do que não suporto, porque experimentei um bocado de tudo.
  • Se fiz erros? Muitos. cheguei ao RU como um quadro branco, ansioso para ser pintado e fui aos poucos preenchendo com as várias cores das minhas experiências, cores neutras, escuras, berrantes o meu auto-retrato cada vez mais fiel a mim mesma.

E como este post já vai um bocado longo…aqui vai uma música dedicada a mim🙂, a todos os estudantes que acabaram um curso superior e aos emigrantes que ainda estão a tentar realizar os seus sonhos :

So Special por Mavado

1) Se tiveres de construir castelos no ar, o teu trabalho nao está totalmente perdido.É lá que eles devem estar, agora só tens agora que construir as bases

2 Comments Add yours

  1. Cacau diz:

    inspirador…

    Gostar

    1. Angielopes's weblog diz:

      ohhh obrigada nao chamaria a minha vida para Inglaterrra de inspiradora…mas valeu a pena cada segundo…

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s