Voltar ás Raízes

bandeira de Cabo-Verde, carregada por contando historias no flickr

Cada vez mais me convenço que às vezes só conseguimos apreciar certas coisas da nossa vida, que damos por garantido, quando as perdemos.

Eu sou portuguesa disso ninguém duvida, aonde quer que eu vá, se me perguntarem de onde venho eu digo sempre de Portugal, sou uma alfacinha com muito orgulho, com certeza.

Contudo, o meu coração estará sempre dividido entre duas culturas; a portuguesa onde nasci, fui criada, a cultura que me ensinou a ver a vida pelos olhos da eterna saudade e a reclamar todos os dias por tudo e por nada; e a cabo-verdiana a cultura dos meus pais.

Quando estava em Lisboa devo dizer que nunca fui rapariga de dançar um funaná, ouvir uma morna ou sequer falar crioulo, língua que até agora não sei falar decentemente.

Sempre gostei mais do meu rock, do meu jazz & blues, do meu querido fado, da bica e do pastel de nata depois de uma noitada, dos santos populares, Mouraria, Chiado, Alfama…, da FNAC (ai que saudades da FNAC).

Só depois de ter vindo pra Inglaterra é que comecei a dar mais valor á minha outra metade. A cultura cabo-verdiana.

Contudo, isto só aconteceu passados muitos meses, de não ver o  sol ( literalmente) em Inglaterra, Passados muitos meses de não ver os meus amigos, os poucos que tenho; e a minha família.

Muitos meses sem poder ir pra casa por falta de dinheiro e poder finalmente acordar com o cheiro da cachupa da minha mãe a um fim-de-semana. Apanhar a comboio na linha de Sintra, para ir ao Rossio passear um bocado e ir desanuviar a cabeça no mirradouro de St. Luzia.

Cada Vez que vou de férias a Portugal o meu coração não grita só BACALHAU COM NATAS, agora também grita: AMADORA, COVA DA MOURA, ONDEANDO, MUSSULO, CATCHUPA (prato que antes nunca ligava muito)

Comecei a procurar, cada vez mais informações sobre Cabo-Verde, a musica, a historia, as ilhas, as gentes, os poetas os escritores e reparei que eu tenho mais em comum com a minha outra metade do que eu pensava, o que sempre me aliviou um bocado a alma…

Estava com imenso medo de ter vivido mais de 21 anos no seio de uma família cabo-verdiana e não ter aprendido nada.

Mas não, certas atitudes que tenho, não fazem só parte da minha personalidade, estão infinitamente ligadas á maneira de olhar a vida dos cabo-verdianos.

Um destes dias andava a procurar grupos de cabo-verdianos no facebook, quando encontrei um que respondeu a todas as minhas perguntas existenciais, em 40 tópicos. O grupo chama-se “you know that you’re a Capeverdean when…” ou Sabes que és cabo-verdiano quando…, grupo criado por Justiniano Rodrigues que me deu a devida autorização para eu partilhar as 40 razoes com vocês.

Sabes que és cabo-verdiano quando…

1)    Todos os cabo-verdianos que tu conheces ou é da tua família ou é da família de alguém que tu conheces

2)    Tens um Manny, Maria ou Tony na tua família

3)    Os teu parentes estão sempre em tua casa

4)    És mais velho que um dos teus tios ou tias

5)    Quando vais a Cabo-Verde 90% da tua bagagem não tem as tuas coisas ( tem presentes ou coisas            que a tua mãe quer vender)

6)    Os teus pais sentem a necessidade de dizer ao mundo inteiro que vão a Cabo-Verde, e depois essas pessoas trazem sempre alguma coisa para vocês levarem á família delas.

7)    Referes-te á Ilha inteira de Santiago simplesmente como Praia

8)    Todas as pessoas que tu conheces quando vais a Cabo-Verde ou é teu primo, tia ou tio.

9)    A tua família insiste que a ilha dela e a sua cidade é o melhor sítio em Cabo-Verde

10) A casa dos teus pais está sempre tão limpa e arranjada que parece uma casa showcase

11)  Tiveste uma paixoneta por um primo distante, mas porque todos os primos são tratados como se fossem primos directos, sentes-te esquisito em relação a isso

12) Obrigatoriamente, tens que comer e beber café em cada casa Cabo-verdiana que vais

13) A tua familia ama-te profundamente e fazem tudo por ti, mesmo se forem pobres, arranjam sempre uma maneira de se ajudarem uns aos outros

14) Quando os teus parentes se encontram em publico, as pessoas pensam que eles estão a discutir, porque eles falam demasiado alto, embora nunca se apercebam

15) Tu e os teus amigos pensam que pedir um mocha no Starbucks é engraçado

16) Comprimentas os mais velhos com ‘benson’ e referes-te a eles sempre como ‘nha’ e ‘nho’

17) Um barbecue na tua família é mais como se fosse um banquete; galinha e peixe no grelhador e duas mesas cheias de comida.

18) Toda a comida que tu comes tem que levar algum tipo de especiarias, até arroz

19) Tu não sabes o verdadeiro nome de nenhum dos teus familares, porque cresceste a chamá-los pelo ‘nominho’ deles que não tem qualquer relação com o nome verdadeiro deles.

20) Todas as festas da tua família consiste em ter musica muito alta, muita comida e muita bebida, alcoólica ou sumo, mesmo se for só uma festa de crianças

21) Catchupa é como se fosse ouro para ti

22) Já comeste milho em todas as formas possíveis e imagináveis: camoka, piran, Catchupa, xerem, pastel, kuskus,

23) Há um homem na tua família a trair a sua mulher, mas achas que não é nada de muito importante

24) Os teus parentes em Cabo-Verde vestem-se melhor do que tu

25) És parente de pelo menos uma pessoa famosa em Cabo-Verde, e fazes por isso questão que toda a gente saiba.

26) Tens familiares a quem não falas

27) Pensas que os Cabo-verdianos são as pessoas mais lindas e sexys do mundo

28) Planeias uma viagem a Cabo-Verde todos os anos, mas só consegues ir a cada três anos

29) Tens pelo menos três visitas em tua casa e não tens espaço,  mas não te importas, porque são da  família, acabando eles por ficar uns dias em tua casa.

30) As tuas festas acabam quando a policia vem ou quando o sol nasce

31) Nunca tens a casa silenciosa

32)  Na tua infância o conceito de privacidade nunca existiu

33) Quando chegas a Cabo-verde, todos os teus vizinhos vão ver-te e a tua casa fica sempre cheia

34) Pensas que sopa de galinha é comida de festa

35)  Achas normal que as galinhas podem entrar dentro de casa, mas o cão tem que ficar lá fora.

36) Já carregaste peixe no avião

37) A segurança do aeroporto já te confiscou milho e feijão

38) O primeiro inglês que tu aprendeste foi fuki-iu

39) A tua festa de formação da primária tem mais de 1000 pessoas presentes mas a turma tem só 40 crianças

40)  Estás a rir ou a sorrir em tudo o que acabaste de ler, porque sabes que é verdade

1)

A estas gostaria de adicionar mais dois:

  • Todo o cabo-verdiano tem esta conversa pelo menos uma vez por mês

A bo é di undi lá na terra?

Ki ilha?

Nho conchi nha… ou nho…. la di…

Mossss!!?? kre nos’ é familia??

  • Clicas actualizar neste grupo do facebook, e consegues encontrar sempre algum parente teu.

Por favor, adicionem mais coisas. Quero saber de mais e mais e mais….

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s